MENU

ELEPHANT PARADE

ELEPHANT PARADE

ELEPHANT PARADE

 

Felipe Morozini, professor da Escola São Paulo, foi um dos artistas convidados a participar da “Elephant Parade”, uma das maiores exposições de arte a céu aberto do mundo. Criada em 2007 pelo holandês Mike Spits, a mostra tem o intuito de conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação dos elefantes no mundo – de acordo com levantamento do projeto, mais de 20 mil elefantes morrem todos os anos por conta de caça.

A edição de São Paulo é uma das maiores Elephant Parade já realizadas e reúne 85 esculturas criadas no tamanho real de um bebê elefante e coloridas à mão pelos artistas convidados. A expectativa é que pelo menos seis milhões de pessoas prestigiem a iniciativa na cidade até o dia 30 de agosto.

Batizado afetivamente de Francisco, o elefante de Morozini foi criado a pedido do hotel Tivoli Mofarrej (um dos apoiadores do projeto). Instalada na Avenida Paulista com a Alameda Ministro Rocha Azevedo, e concebida em parceria com a caligrafa e designer carioca Cláudia Imperial, a obra, nomeada “Não Estamos Sozinhos”, é um caça-palavras afetivo que convida os transeuntes a encontrar, refletir e compartilhar nas redes sociais sentimentos sobre as ações e as relações da humanidade com o mundo.

Em outubro, os elefantes serão leiloados em um evento beneficente. A quantia arrecadada será destinada a projetos como o Santuário de Elefantes do Brasil, que trabalha no resgate desses animais na América do Sul, entidades filantrópicas da cidade e aos artistas participantes.

Abrir novos canais de diálogo com a cidade em que moramos é um dos objetivos do curso “Diálogos Urbanos”, de Felipe Morozini, na Escola São Paulo. Uma maneira de ver e tentar transformar a cidade em que vivemos com uma visão geral e contemporânea sobre a ocupação do espaço público e a poesia intrínseca e sobre nós mesmos. Quer saber mais? Acesse aqui!

Vídeo: InspiraAções

agosto 9, 2017 Comentários desativados em ELEPHANT PARADE REINVENTE

, , , , , , ,

Comments are closed.

« »